Seguidores

Tecnologia do Blogger.

Visitantes

O show da banda que eu não fui

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Aquele lugar estava lotado, desde a fila até as lanchonetes em volta do estádio. A minha banda favorita iria tocar. Esperei por anos para ir naquele show. Eles já tinham vindo outras duas vezes para a cidade. Uma delas eu era muito novo e minha mãe não deixou, enquanto a outra eu estava sem dinheiro. Mas desta vez eu estaria ali, eu iria pular junto com a galera, eu iria cantar todas as músicas juntos. Ia ser demais, sim iria, se o meu chefe estivesse me liberado, se os boletos estivessem pagos e se eu não estivesse atrasado com as metas do trabalho. Pois é, e ali estava eu, vendo meus amigos postarem fotos do show nas redes sociais, outros perguntando o por que da minha ausência e outros dando graças por mim não ter ido, pois iriam assim se gabar do show que eu não fui.

Você precisa assistir Mad Men

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Imagine só, um seriado onde reúne o charme da publicidade dos anos 60 com personagens muito bem escritos e desenvolvidos. Isso é Mad Men. A história traz o diretor de criação Don Draper lidando com os desafios da publicidade e propaganda, enquanto também precisa vencer as suas crises no casamento, de identidade e também de idade. Mad Men teve sete temporadas de alto nível, ganhou muitos prêmios e levou diversos publicitários ao sonho de viver uma vida como a de Don Draper. Durante os seus episódio nada é escondido, pois é mostrado toda sujeira envolvida no meio, brigas por contas de marcas importantes, rivalidade no mercado de trabalho e todo contexto cultural que os americanos viviam naquela época. Isso sem falar na fotografia, figurino e todo ambiente sessentista que a série nos traz.


P.A Entrevista #28 - Leonardo Cesar

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Vivemos em dias onde as pessoas vivem uma vida sem tempo para nada, acabando assim com pouco tempo para praticarem exercicios fisicos, como a corrida de rua. Então, nesta semana a entrevista é com Leonardo Cesar, que pratica corrida de rua e busca mostrar nessa entrevista a importância de praticar esporte. Leonardo já participou de diversas corridas e possui um Blog sobre o tema que se chama "Pisando por ai". Então, vamos a entrevista:


Manchester á Beira-mar e os corações quebrados

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Para mim assistir filmes não é apenas um ato vazio ou de desligar a mente para deixar o tempo passar. A cada filme que assisto eu procuro aprender algo, procuro observar alguma mensagem que possa agregar valor a minha vida. Claro que sempre existem filmes aqueles filmes ruins, que da vontade de desligar tudo e fazer outra coisa, mas este filme do titulo deste texto foi um dos filmes mais marcantes que eu assisti, e um dos três melhores deste ano. Manchester á Beira-mar é um filme profundo, com uma mensagem muito bonita, onde vemos corações quebrados buscando uma reconstrução. O filme é estrelado por Casey Affleck, que ganhou o Oscar de melhor ator pelo filme, além de Manchester á Beira-mar também ter concorrido a melhor filme no Oscar e ter ganho como melhor roteiro.

Selton Mello e a paixão pelo cinema nacional

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Este ano foi um ano muito bom para o cinema nacional, com vários filmes alcançando o grande público, e aquelas velhas críticas aos filmes nacionais foram caindo. Pouco se escuta hoje em dia pessoas dizendo que o cinema nacional é feito de favelas e palavrões. Até porque os diretores e roteiristas nacionais começaram a contar histórias diferentes, histórias que emocionam, e entre eles, esta Selton Mello, um cara diferente, que busca fazer filmes que tocam as pessoas, que tragam uma mensagem. Este ano Selton lançou "O filme da minha vida", uma obra alto astral, com profundidade e uma fotografia muito bonita. Ao longo da divulgação vimos Selton percorrendo o país para falar do filme, e algo notável em cada uma de suas entrevistas era a sua paixão pelo cinema nacional.

Por quê criticamos os craques?

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Lebron James, apenas um cara que falam muito mas nunca chegara aos pés de Michael Jordan. Neymar, um moleque mimado que só sabe reclamar e cair no chão. Stephen Curry? Mala. Felipe Massa? Fraco. Ruben Barrichello? Pipoqueiro. Cesar Cielo? Achei que era melhor. Gabriel Medina? Muito marketing e pouco talento. Percebe que cada atleta famoso e de destaque recebe muitas criticas por todos os lados? Se o cara chega a ser um destaque em algum esporte, ele acaba ganhando vários haters pelo mundo. Por que será que isso acontece? Mesmo sabendo de seus números e suas conquistas, nunca é o suficiente, ainda mais se os haters possuem um outro atleta como favorito.

2 perguntas para se fazer depois de ler um livro

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Ler livros é algo mágico, pois você começa todo empolgado a ler um livro que você gosta e então você acaba sendo sugado para todo conteúdo que ele possui, e no fim da viagem, após a leitura a sua vida já não é mais a mesma, já que você acaba possuindo um novo conhecimento e uma nova visão de mundo. Todos os livros possuem um conteúdo, todo livro possui um aprendizado, ainda que não seja muito, ainda que não seja o que você esperava. Nenhum livro é ruim, nenhum livro é vazio, ele apenas não alcançou o SEU gosto pessoal, mas pode ter alcançado centenas de outras pessoas. Sendo assim, você não pode desperdiçar uma leitura, ler um livro apenas por ler, por isso sou contra a leitura dinâmica. Que sentido faz ler um livro tão rápido feito um doido? Toda vez que termino de ler um livro me faço duas perguntas:

P.A Entrevista #27 - Paulo Junior

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Nesta semana a entrevista é com Paulo Junior, que é jornalista e um dos fundadores da rede de Podcast Central 3, onde eles possuem programas sobre futebol, cinema, literatura e diversos outros esportes. Paulo também é um apaixonado pela arte da escrita, e este ano lançou um livro de contos, chamado "São Bernardo sitiada". Bora conhecer mais sobre ele através desta entrevista:

MicroContos #4

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Seguimos firmes com a ideia de publicar os MicroContos, e neste mês de Novembro temos mais quatro deles para lermos. Saiba que para escrever os MicroContos basta observar o cotidiano, olhar para as pessoas e para as situações ao nosso redor. Assim, as ideias fluem e surge uma pequena história. Sendo assim, vamos a eles:


Quando a filha cresce

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Paulo já era pai fazia 13 anos, e se lembrava muito do dia em que descobriu que seria pai de uma menina. Ficou aflito, ficou suando frio, pois era uma experiência nova na sua vida. Será que daria conta? Será que conseguiria suprir as expectativas? Será que aquela criança iria gostar dele? Enfim, aos poucos foi se acalmando e descobrindo que não adiantaria se desesperar, o jeito era viver um dia de cada vez. Então veio o nascimento daquela criança, e deu o nome dela de Julia e foi amor a primeira vista.

- É a minha filha, é a minha menina - dizia Paulo para todo mundo.

- Olha como ele esta feliz, olha como ele esta contente - diziam as pessoas que conviviam com Paulo

Mas eram outros tempos, agora Julia já tinha seus 11 anos de idade e iria pela primeira vez para uma festa com os amigos da escola, e vejam só, Paulo iria levar a filha para esta festa. Todo marrento e de cara feia, se colocando como o pai protetor, Paulo colocou a filha no carro e partiu para essa festa de adolescentes, que para ele parecia mais uma festa de abutres que iriam estar de olho na filha dele.

5 maiores festivais de música

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

O Brasil cada vez mais recebe vários shows internacionais e festivais de música no país, algo que era bem complicado a décadas atrás. Apesar de shows exclusivos serem ótimos, os festivais possuem toda uma aura que atrai os fãs para terem uma experiência de assistirem diversas bandas em um único dia. Apesar da multidão de pessoas, a falta de conforto e todos os imprevistos que ocorrem em um festival ainda assim a multidão está garantida em todos os dias. Vejamos então os cinco festivais mais importantes e rentáveis do mundo, lembrando que a lista não é definitiva, onde você pode adicionar outros festivais nos comentários:

1- Rock In Rio


Apesar de muita gente criticar o festival, dizendo que ele não é de Rock mas sim um festival de Pop, o Rock In Rio segue sendo um festival de enorme reconhecimento no mundo todo. Ele começou a ser realizado em 1985 no Rio de Janeiro, trazendo bandas que eram sucesso por todo o mundo, como o Queen, que realizou um show lendário. Depois o festival retornou em 1991, 2001, 2011, 2013, 2015 e 2017. Mas não apenas isso, os organizadores conseguiram levar o festival a ser realizado na Europa, tendo edições em Lisboa e em Madri, e também nos EUA. Nas edições brasileiras já pisaram no país bandas como Guns N` Roses, Metallica, Bom Jovi e Coldplay.

4 vezes Hamilton

terça-feira, 31 de outubro de 2017


No último domingo o inglês Lewis Hamilton conquistou o seu quarto campeonato da Formula 1, se sagrando tetracampeão, e assim as perguntas surgem: Será ele o novo grande nome da categoria? Ele já superou Senna e Schumacher? Enquanto do outro lado existem aqueles que dizem que a Formula 1 hoje em dia está muito mais fácil e não existem rivais como antigamente. De fato, a Formula 1 já não é mais a mesma de trinta anos atrás, mas falemos a verdade, qual esporte é o mesmo de trinta anos atrás? Nenhum! Sim, Hamilton hoje é o que tem maior destaque na Formula 1, apesar de não vê-lo como o melhor piloto da categoria, já que vejo Vettel e principalmente Alonso muito mais a frente, sendo pilotos melhores. Ainda assim, Hamilton segue fazendo história e vai se firmando como um dos grandes nomes da Formula 1 atual.

Quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez?

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

É muito bom fazer algo pela primeira vez, não é mesmo? Sentir aquela ansiedade boa para que o que você quer aconteça logo, sentir a emoção do momento, a alegria de fazer algo novo e sentir a satisfação de ter realizado algo diferente. Com certeza todo mundo já sentiu isso. Você se lembra da primeira vez que foi para a escola? A primeira vez que disputou um campeonato de futebol ou outro esporte? E da primeira vez que viajou ou até mesmo andou de Avião? Foram ótimos momentos para se viver. A vida nos proporciona durante a nossa jornada várias experiências novas e situações diferentes para se viver. Com certeza um dos seus melhores sentimentos foi quando você fez algo pela primeira vez, pois aquele momento se tornou inesquecível para você e assim você foi levado a contar aquele momento para todo mundo. Mas a pegunta é: quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez?

P.A Entrevista #26 - Alexandre Nagado

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

A entrevista desta semana é com Alexandre Nagado, um cara apaixonado pela cultura japonesa, que como redator escreveu em diversas revistas famosas, como a revista Herói e a revista SET. Alexandre também fez muitas  palestras pelo Brasil falando de cultura pop japonesa e já lançou um almanaque falando sobre o assunto. Para completar, Alexandre possui dois Blogs muito interessantes, o Sushi Pop, falando sobre a cultura pop japonesa e o Reflexo Cultural, onde trata de assuntos que envolvem arte, cultura e política.


5 melhores treinadores do Brasil

sábado, 21 de outubro de 2017

O Brasil, país do futebol, sempre teve bons treinadores durante a história, sendo que muitos deles chegaram a seleção brasileira. Mas acima de tudo, os treinadores dessa lista conseguiram o respeito de seus torcedores, clubes por onde passaram e da grande crítica. A lista não é definitiva, sendo que nos comentários você pode adicionar nomes dos quais você entende que mereciam estar aqui.

1-) Telê Santana


Esse treinador foi um gênio da sua época, tendo o seu auge como técnico da seleção brasileira dos anos oitenta, treinando aquela geração composta por Zico, Sócrates, Careca e Falcão. Telê era rígido, tinha as suas manias, mas jogava para frente, buscava o ataque e pagou caro por jogar bonito. Conseguiu ganhar o Brasileirão de 1971 pelo Atlético-MG, e depois de sua passagem pela seleção foi chamado de pé frio. Foi então que no São Paulo encontrou os titulos que tanto merecia, vencendo duas Libertadores e dois mundiais, sendo assim recompensado finalmente pelo futebol bonito que suas equipes apresentavam.

Senhoras e senhores a NBA voltou

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

A temporada da NBA começou ontem, e é uma das mais aguardadas de todos os tempos. Podemos afirmar que esse ano é a temporada dos esquadrões, dos grandes times montarem panelas com jogadores famosos. Também é o ano em que o marketing e divulgação cresceram de forma abundante, alcançando vários países. No Brasil temos duas emissoras de canal fechado transmitindo os jogos, causando uma overdose de jogos quase todos os dias. Outro motivo de tamanho interesse nessa temporada são os grandes jogadores em destaque. Temos Stephen Curry, Lebron James, Paul Geoge, Carmelo Anthony e tantos outros espalhados por vários times. O Draft desta temporada também foi um dos melhores, trazendo diversos novos jogadores interessantes para observarmos.

MicroContos #3

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Em 2012 nosso Blog possuia a sessão de MicroContos.

Mas o que são MicroContos? São histórias que se conta com poucas palavras.

Resolvemos voltar com a série, e após 5 anos estamos de volta com a terceira compilação de MicroContos

Parabéns Yu Yu Hakusho

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Este ano este amado Anime completa 25 anos de vida e aqui estamos para relembrar um pouco das aventuras de Yusuki Urameshi e sua turma no mundo sobrenatural. Em 1992 foi lançado a história que mostra o protagonista morrendo logo na primeira cena do Anime, saindo das histórias habituais que todos estavam acostumados. O padrão de histórias era sempre de um herói muito forte e perseverante, que combatia o mal com uma personalidade certinha e dentro do padrão. Acontece que Yusuki era completamente diferente, pois era um encrenqueiro que não queria salvar ninguém, apenas matar aula e curtir a vida. Mas então o cara morre e agora para voltar a vida precisa aprender a ser uma boa pessoa e virar um detetive sobrenatural, combatendo as forças malignas que atacam a Terra. Pronto, esse era o enredo de Yu Yu Hakusho. Agora adicione muita comédia, cenas de lutas fantásticas e uma dublagem no Brasil excelente. Assim temos o segredo de um Anime ter tanto sucesso no país.

P.A Entrevista #25- Adriano Silva

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Você gosta de música? Então a entrevista dessa semana trata desse tema como assunto principal, onde entrevistamos o baterista Adriano Silva, da banda Marolado. Alem disso, Adriano é professor de bateria e já tocou em várias bandas independentes ao longo dos anos. Nesta entrevista ele fala sobre a profissão de músico e sua alegrias e dificuldades no mundo da música.


A difícil vida do Brasil no Tênis

terça-feira, 19 de setembro de 2017

No último fim de semana a seleção brasileira de Tênis disputou a Copa Davis enfrentando a seleção japonesa e o resultado final foi catastrófico. O Japão não estava com seu melhor jogador em quadra e assim havia alguma esperança para o Brasil, mas isso não bastou, nos levando a várias incertezas em relação ao esporte em nosso país, tão carente de bons jogadores. Para piorar, o jogador numero 2 do Brasil, Thomaz Belluci acabou não podendo disputar as partidas, e novamente ficamos dependentes da nossa equipe duplas, que modéstia a parte é uma das melhores do mundo. Quanto aos jogos de simples, estávamos a espera de um milagre, porque as coisas seguem difíceis, nos levando a ter saudades de Gustavo Kuerten.


Nas duas primeiras partidas de simples tivemos duas derrotas e para piorar um vexame do tenista brasileiro Guilherme Clezar, que acabou fazendo gestos de preconceito para o juiz asiático, mostrando que educação não é o seu forte. Thiago  Monteiro também não aguentou o tranco e perdeu as duas partidas que disputou, mostrando que falta muito para alcançar um patamar de jogador de elite. A nossa dupla composta por Bruno Soares e Marcelo Melo evitou uma vergonha pior e venceu o seu jogo, mas não foi suficiente e fomos eliminados e ficamos fora novamente do grupo mundial da Copa Davis, pela nona vez, das últimas onze tentativas. Assim notamos que nossa equipe esta longe de ganhar alguma coisa, pois temos problemas na confederação de Tênis, jogadores de fraco desempenho e pouca garra em suas partidas.

Parece que a cada partida nossos jogadores já entram com a mentalidade de derrota, e sabemos que para o Tênis isso é mortal, já que a mentalidade positiva é uma arma para um esporte como esse, pautado por muita resistência mental. Me preocupa o futuro da equipe, pois em alguns anos a nossa dupla ira se aposentar e não tem surgido ninguém talentoso para compor esse espaço. Fico imaginando se Guga ainda jogasse, iriamos longe. Mas a realidade é outra, onde somos dependentes de Thomaz Belluci ter um bom jogo, pois alterna muito, onde em alguns momentos vence com muita garra e em outros perde de forma medonha. Para piorar o nosso tenista numero um do país, Rogerinho, não foi convocado, para logo em seguida ser reconvocado, mas então ele recusou o convite. Desta maneira vemos a bagunça do Tênis nacional. Quem perde? O esporte no país e os amantes do jogo, que ainda possuem esperança para tempos melhores. Voltamos agora a disputar a zona da Ámerica do sul na Copa Davis, e tomara que as coisas mudem, que se tornem menos políticas e pessoais, para então se tornarem mais profissionais e competitivas, pois o Tênis brasileiro, coroado com muitas vitórias no passado merece.

5 coisas loucas dos anos 80/90

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Os anos oitenta e noventa foram tempos onde parecia que a humanidade estava em outra dimensão, já que a televisão e a mídia apresentavam coisas malucas, tanto na televisão como na cultura. Havia de tudo por aqui, onde apresentadoras quase nuas apresentavam programas infantis, quadros inimagináveis nos dias de hoje, músicas totalmente sem noção. Bom, vamos aos cinco fatos mais loucos dessa época de ouro do nosso Brasil.

1-) Duelo Collor contra Lula


Violência? Apologia a armas? Não, que isso, não existia toda essa discussão naquela época. Se era para disputar, então a disputa tinha que ser pra valer. Mãos a arma e bora batalhar. A televisão fez o favor de dramatizar isso, e o que era para ser uma disputa entre presidenciáveis passou a ser uma guerra entre candidatos, uma luta de esquerda contra direita. Parece com hoje? Pode até ser, mas naquela época ninguém escondia o que estava acontecendo, nem mesmo os políticos.

2-) A banheira do Gugu


Sim meus amigos, existiu uma época em que havia um quadro no programa do Gugu, onde famosos lutavam em uma pequena banheira em busca de sabonetes. Ali a safadeza rolava solta em plena tarde de domingo, e o apresentador Gugu se divertia com altos índices de audiência. Por ali passaram Luiza Ambiel, Renata Banhara, Nubia Oliver, Nana Gouvêa e até mesmo o nosso deputado federal Tiririca. É, os tempos eram loucos.

3-) Xuxa apresentando programa infantil quase nua


Hoje as manhãs da Globo é estrelada por programas de saúde, Ana Maria Braga e Fátima Bernardes. Mas nos anos oitenta Xuxa era a rainha dos baixinhos que dominava. Certa vez ela teve a ousadia de usar essa roupa da foto acima para apresentar o programa. Alguém ligou? Alguém reclamou? Os pais quiseram tirar Xuxa do ar? Não, pois nos anos oitenta tudo era permitido, ou não existia tanta malicia como hoje. Nos tempos atuais isso nunca seria permitido, mas naquela época era sucesso garantido.

4-) Chocolate Pan em forma de cigarro


Gosta de Chocolate? E de Cigarro, gosta também? Parecia que isso não tinha nada a ver, mas acredite, vendia-se, e muito, este Chocolate em forma de Cigarro. Naquela época o Cigarro era charme e trazia status para os que fumavam. Como crianças não fumavam o negócio era fazer um Chocolate em forma de Cigarro. Uma péssima escolha, que poderia induzir as crianças a um vicio maior. Ainda bem que notaram isso a tempo, pois isso era muito doido.

5-) Os Trapalhões


Hoje em dia ouvimos muito falar sobre politicamente correto, onde não se pode brincar com nada, pois é perigoso ofender alguém. Nos anos oitenta os Trapalhões não ligavam para isso, e assim zoavam todo mundo. Falavam de nordestino, falavam de negros, brincavam com homossexuais e tudo o que se possa imaginar. Era muito engraçado, muito divertido. Infelizmente os Trapalhões não encontram espaço na televisão hoje em dia, pois a atual geração não suporta as brincadeiras que esses caras faziam.

Por quê Narcos é tão legal?

domingo, 10 de setembro de 2017

A Netflix decidiu investir em uma série que conta a história do tráfico de drogas da Colômbia. A trama começou a dois anos atrás, quando a vida de Pablo Escobar foi o centro da história. Foram duas temporadas focadas em Escobar e o perigoso Cartel de Medelin, onde vimos os terrores de uma organização que não tinha limites para alcançar seus objetivos, comandadas por um homem que buscava mostrar toda sua influência e poder. Já na nova temporada o foco da história é no Cartel de Cali, onde é mostrada a busca do DEA para prender os irmãos Gilberto e Miguel Orejuela. Para aqueles que pensavam que a série iria decair com a saída de Wagner Moura se enganou, pois Narcos manteve um nível sensacional em seu roteiro, levando o seriado para um patamar ainda mais alto.


Narcos consegue ter em seu elenco um leque de atores sensacionais, onde cada um consegue cumprir muito bem o seu papel, ainda mais com um sotaque espanhol que traz um charme especial a trama. Se você gostou de Tropa de Elite e da forma de contar a história de maneira narrativa, irá também gostar de Narcos, já que temos a história narrada pelos agentes do DEA. Outro ponto positivo na série é encontrada nas cenas de ação, onde os tiroteios e mortes não são abafados, levando a série a um nível de violência alto. O clima e tom de tensão de suspense acompanham o ritmo do seriado, principalmente nas cenas onde vemos o DEA caçando os narcotraficantes. Enfim, Narcos prova que uma série com atores em sua maioria latinos consegue sustentar uma ótima trama, ainda mais quando ela também encontra a sua origem em um país também latino.

O alvo de seus criadores é seguir mostrando todo percurso do narcotráfico, e tudo indica que na próxima temporada o alvo será o México, exatamente onde as drogas encontram passagem direta para os EUA. Narcos busca mostrar todo terror que estes narcotraficantes causaram na história e o  mal que causaram para a Colômbia, claro, sobre os olhos dos americanos. Muitos na Colômbia não concordam com o que está sendo mostrado, outros dizem que os fatos não são verdadeiros, mas ainda assim, os acontecimentos seguem sendo reais. O objetivo ainda é seguir mostrando toda luta contra as drogas, ou seja, pode ser que essa linha do tempo possa passar até mesmo pelo Brasil. O que faz Narcos ser tão boa? Ela é real, é a realidade em tela. Enquanto outras séries se baseiam em fantasia e Dragões, Narcos foca em histórias reais, contada através de personagens que de fato existiram.

P.A Entrevista #24- Henrique Silva

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

O mercado de quadrinhos do Brasil está crescendo bastante, e na entrevista da semana temos o autor e desenhista Henrique Silva. Ele é o autor de duas ótimas HQ. Ele escreveu e desenhou "Sentido", onde mostra a vida cotidiana, e também é autor de "Relógio", um ótimo drama. Enfim, Henrique nesta entrevista nos fala sobre quadrinhos e o mercado brasileiro.


1-) Como surgiu a sua paixão por quadrinhos?
Era o ano de 2002, eu tinha cinco anos na época e meus pais me levaram ao cinema para ver o filme do Homem Aranha. Fiquei tão extasiado e empolgado com o personagem que queria mais daquilo. A partir dai comecei a consumir quadrinhos de super heróis, especificamente do Homem Aranha que ainda é meu personagem favorito e no qual eu ainda leio histórias até hoje. Por volta de 2011 descobri novas formas de quadrinhos quando me deparei com o trabalho dos gêmeos Fabio Moon e Gabriel Bá. Vi nas obras deles o gigante potencial que os quadrinhos têm para contar qualquer tipo de história, inclusive sobre o cotidiano, sobre o amor, sobre a perda e coisas além da ação impactante dos quadrinhos de heróis. Daí em diante fui conhecendo autores que se tornarem referencias para mim, como o Will Eisner, Art Spielgman e Craig Thompson.

2-) Quais são as suas maiores dificuldades como quadrinista independente?
Bem, acho que a primeira dificuldade que me vem a mente é ter de conciliar "trabalhos que pagam a conta" com o trabalho com quadrinhos. Você precisa saber se organizar para conseguir produzir as páginas da HQ (que geralmente demandam muito tempo) no período disponível que você tem, e muitas vezes isso significa virar a noite desenhando páginas. Além disso, ainda tenho o problema da distribuição. Fazer o seu quadrinho chegar ao público sempre é um problema quando a obra já está pronta, os eventos e a internet facilitam as coisas mas inda não é suficiente.

3-) Como surgem as ideias para as suas histórias?
Geralmente as ideias partem de alguma vivência pessoal ou de alguém próximo a mim, que acabo me inspirando. Tendo isso, costumo trabalhar com o que eu quero passar com uma história e qual a melhor forma de fazer isso, sempre buscando retratar emoções reais e humanas para que o público possa criar um elo com o personagem e se identificar com a história.

4-) Como você enxerga o mercado de quadrinhos no Brasil?
Em crescimento. A cada ano nota-se um crescente de pessoas interessadas no quadrinho autoral brasileiro e isso fortalece o mercado e estimula os autores a produzirem mais e melhor. Porém, ainda é um nicho pequeno, como toda a produção autoral no Brasil. A mídia quase não da espaço e isso ajuda a manter um certo preconceito que existe para com os quadrinhos e sua produção nacional.

5-) Quais dicas você daria para aqueles que querem escrever uma HQ?
Primeira: para fazer quadrinhos você precisa amar quadrinhos.
Segunda: leia todo tipo de histórias, de todos os estilos e traços. Isso vai fazer com que tenha uma bagagem linguística e facilitará na hora de compor um bom roteiro e montar seu quadrinho
Terceira: estude sobre quadrinhos, isso vai desde saber como funciona uma boa narrativa e como ter diálogos interessantes até composição de imagem, enquadramento, cores e outras questões estéticas.
Quarta: esteja disposto a dar a cara a tapa. É como se o autor colocasse no papel uma parte de si e expusesse a todos. As pessoas farão relação dos personagens, dos acontecimentos, dos sentimentos da história com você e com sua vida, mesmo que não seja verdade, será a interpretação delas.
Quinta e última dica: para fazer quadrinhos você precisa amar quadrinhos

Histórias de amor- O dia em que o mundo apagou

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Já era noite na Avenida Paulista, e Paulo estava cansado da correria. Já era sexta feira na Avenida Paulista, e Paulo não via a hora de chegar o final de semana para poder descansar. Já era tempo de Paulo se esquecer de Luana, aquela mulher por quem ele se apaixonou. Já era hora dele se esquecer dela, mas como ele ia fazer isso? A Luana trabalhava no mesmo lugar que ele. Já havia muito tempo que eles tinham terminado, tipo uns seis meses, mas para ele parecia que tinha sido ontem, pelo tanto que doía.

Paulo saiu da sua sala e olhou para o pessoal em volta. Havia ainda algumas pessoas, e entre elas a Luana estava la. Aqueles cabelos negros, aqueles olhos castanhos que lhe tiravam o ar. Ele olhava para ela se lembrava daqueles dias de inverno onde saiu para tomar chocolate quente. Como não lembrar daquele dia de verão na praia? Paulo tentava espantar os pensamentos, mas por dentro ele queria mesmo era morar naqueles pensamentos, pois ali ele tinha ela para sempre. Que saudades, que saudades! 


Paulo subiu as escadas para ir em outro setor do seu trabalho, enquanto pela janela ele observava as luzes dos prédios iluminando a cidade. Quantas pessoas la fora, quanta gente vivendo. As pessoas aos poucos esvaziavam o escritório, e ao descer as escadas para também ir embora ele acabou trombando Luana. A mente dele torcia para isso não acontecer, mas o coração dele pulsava por esse encontro. 

- Oi, tudo bem?

- Tudo sim.

Aquele silêncio entre eles, o que aquilo significava? Era bom ou ruim? Era sinal de saudade ou de indiferença? Mais alguns segundos passaram, era agora o momento de falar algo ou uma chance de sair de mansinho. Paulo resolveu que ia falar. Era o momento de colocar tudo para fora. Ele ia dizer que a amava, ia dizer que a queria de volta. Suspirou devagar e Luana olhou para ele. Paulo começou a falar e BUUUUUUUUMMM.

Tudo ficou escuro no escritório, nada se via, nem um palmo a sua frente. A Avenida Paulista estava um breu, nada se via. As buzinas dos carros gritavam la fora, e algumas pessoas na rua também berravam. Parecia o caos do lado de fora, enquanto ali no escritório Luana se assustou também e dando um salto para frente encontrou os braços de Paulo. Ele era seu protetor ali, era o local onde ela acreditava que aquela escuridão não iria lhe fazer mal. Paulo a abraçou com carinho, pediu calma e se sentaram juntos no canto da sala. Ali ficaram o tempo que foi preciso, ficaram até as luzes voltarem, até o retorno da energia trazer vida para a cidade. Quando a luz voltou, os olhares dos dois se encontraram. Ainda faltava um lugar que precisava de energia, o coração de Paulo. E a energia voltou no momento em que Luana o beijou. 

Já era noite na Avenida Paulista. E a noite revelava que ainda existia dia para aquele casal.

P. A Entrevista #23- Max Valarezo

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Para os amantes do cinema a entrevista da semana é com o criador e apresentador Max Valarezo, do Canal do You Tube chamado EntrePlanos. Neste canal Max consegue trazer diversos ensinamentos sobre técnicas de filmagens, roteiros e outras ferramentas do mundo da sétima arte. Com uma edição sensacional os cinéfilos aprendem a cada semana algo novo em seu canal.


1-) Quais ensinamentos a sétima arte consegue nos transmitir?
São tantos que não dá nem para enumerar. Por um ponto de vista mais técnico, o cinema nos ensina como contar histórias de maneira visual, confiando na combinação entre imagem e som para que possamos conhecer personagens e tramas que possam nos prender a atenção. E com um olhar mais atento, podemos aprender muito sobre roteiro, sobre atuação, sobre fotografia, movimentos de câmera e qualquer outro componente da sétima arte. Já por um ponto de vista mais focado nos enredos que estão sendo contados, cada filme pode nos ensinar uma lição diferente, seja sobre história, sobre emoções, sobre como lidar com a vida. É uma gama imensa de temáticas que podemos encontrar.

2-) Para você, os filmes devem ser vistos com um olhar técnico ou emocional? Por quê?
Devem ser vistos com os dois tipos de olhares ao mesmo tempo. Porque um filme não é apenas um amontoado de aspectos técnicos. Ele é uma história, com uma mensagem, com temáticas, com conflitos humanos. E é o olhar emocional, a nossa capacidade de se envolver com os eventos e personagens , que vai nos permitir avaliar se aquele filme conseguiu ser envolvente ou não.

3-) Como surgiu a ideia de criar o canal EntrePlanos?
Quando ainda estava na faculdade, conheci um canal americano chamado Idea Channel. Os vídeos deles faziam análises sobre cultura pop, mas sempre de forma mais aprofundada, fazendo ponte com filosofia, história, ciência, entre outros. Esse canal me mostrou que seria possível falar de cultura no You Tube de uma maneira que fosse inteligente, mas sem ser pedante ou entediante. Depois, quando estava terminando a faculdade, decidi que meu TCC seria a criação de um canal no You Tube para falar sobre cinema com um olhar aprofundado, interessante e leve. Quando terminei meu TCC, estava no ar o EntrePlanos com o nosso episódio piloto, um vídeo sobre a representação que o filme "Monty Python em busca do cálice sagrado" faz da idade média.

4-) Como uma pessoa pode desconstruir um filme para capturar a mensagem que ele quer transmitir?
Para responder isso da melhor forma possível seria preciso dar um curso inteiro de análise cinematográfica, hahaha. Mas de forma resumida, é preciso estar atento a história e a como ela está sendo contada. Tentar achar padrões no filme (um tipo de evento que se repete, alguma fala, um arquétipo recorrente de personagem) ajuda a perceber quais podem ser os possíveis temas da trama, por exemplo, uma vez que se consegue identificar as principais temáticas de uma história, você consegue ter um olhar mais atento a outros elementos da narrativa que te façam entender as mensagens transmitidas.

5-) Quais foram os cinco filmes em que você absorveu grandes mensagens?
"A viagem de Chichiro" e o "Castelo animado" me ensinaram sobre apreciar a beleza que nos cerca e se deixar encantar com o mundo ao seu redor, mesmo quando se está fora da sua zona de conforto. "Na natureza selvagem" me fez entender melhor o valor de saber estar sozinho. "Blade Runner" foi a primeira ficção cientifica que me mostrou como histórias desse gênero podem nos ensinar muito sobre o que é ser humano. E "Um sonho de liberdade" é uma grande lição sobre como a arte pode nos salvar a alma, mesmo nos momentos de maior dificuldade nas nossas vidas.

Era dia de São Silvestre

domingo, 27 de agosto de 2017

Renan estava muito empolgado para o dia da principal corrida de São Paulo, pelo menos era o que ele dizia para todos. Acostumado com desafios, Renan queria vencer mais essa. Diziam que a corrida era difícil, que eram 15 km de muito esforço e resistência, sem falar na subida da rua Augusta no final, que era vilã de muitos corredores. Mas Renan prometeu para si mesmo que não iria andar em nenhum momento, que iria correr por todo percurso. Depois de muito treinamento ele estava pronto, ou pelo menos achava que estava.

Chegando o dia da corrida ele se animou com as mensagens que recebia enquanto estava a caminho da famosa Avenida Paulista. "Boa sorte", "Tenha uma boa corrida", "Vai lá e arrebenta", "Faça o seu melhor". Eram as mensagens que batiam na tela do seu celular, invadiam a sua mente e fortaleciam o seu corpo. Chegando no local da largada Renan viu várias pessoas, dos mais variados estilos. Ali estavam idosos querendo ter uma saúde de ferro, jovens buscando bater recordes, mulheres buscando mostrar que também eram capazes. Sem falar nos diversos corredores fantasiados, que estavam ali para animar a festa, levando a corrida a se tornar mais divertida.


Quando soou o apito da largada a alegria era geral, todos sorriam, todos corriam em busca de muita endorfina e superação. Renan passou por várias pessoas e encontrou alguns conhecidos de outras competições. Como era gostoso correr, como lhe fazia tão bem. Empolgado, ele sacou o celular do bolso e começou a filmar vários momentos da corrida, onde registrou Homem Aranha e Bob Esponja como adversários da corrida, ou melhor, como companheiros de estrada. Os primeiros quilômetros foram fáceis, nem parecia uma corrida difícil, estava mais para um passeio. Renan aproveitava os Gatorades que eram distribuídos para se hidratar, enquanto corria por locais importantes da cidade, ao som dos gritos da torcida, que incentivava os corredores em todo percurso.

Renan se deliciou correndo pela Avenida Paulista, conheceu de perto o estádio do Pacaembu, se maravilhou ao percorrer o centro velho da cidade. Alias, que cidade bonita, que cidade desprezada por seus habitantes. Longe dos sons de carros e do stress de todo dia São Paulo parecia uma boa cidade de se viver. Pena que esses bons momentos eram tão poucos. Por isso ele tinha que aproveitar. Foi quando Renan chegou na tão difícil subida da Consolação. Era hora de enfrentar a subida e ver se era tudo isso mesmo. Não era. Renan passou sorrindo e dizia para si mesmo

- Cade você, essa é sua força Consolação. Você não é de nada.

Assim Renan terminou a famosa subida parecendo que estava correndo no parque perto da sua casa. Fácil, bem fácil. Virando a rua encontrou a Avenida Paulista lotada de pessoas. Foi emocionante, foi belo. Renan esqueceu do relógio, esqueceu do tempo de corrida. Ele queria apenas aproveitar o momento. E que momento. Renan cruzou a linha de chegada e agradeceu a Deus pelo feito e pela superação. 15 km não foram nada. Estava pronto para mais. Ao pegar a sua medalha, Renan desceu as escadas do Metrô com a sensação de missão cumprida. Valeu a pena. Mas não era o fim. Ele tinha sede de mais. 

5 maiores ataques terroristas da história

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Infelizmente na última semana tivemos um ataque terrorista em Barcelona onde pessoas foram mortas e outras ficaram feridas. Além disso este ano já tivemos ataques em Manchester e muitos outros já aconteceram ao longo da história. Neste texto vou mostrar cinco ataques terroristas que chocaram o mundo.

1-) 11 de Setembro


Este ataque chocou o mundo em 2001, pois ninguém esperava que a maior potência do mundo seria atacada em um dos seus pontos mais importante do país. Dois aviões comandados por Osama Bin Laden e sua organização destruíram as torres gêmeas e mataram várias pessoas. Além disso houveram ataques ao Pentágono que levaram os EUA a repensarem em todo seu sistema de defesa e iniciou a então chamada "Guerra ao terror".

2-) Bombardeio de Wall Street


Não é de hoje que os americanos são alvos de terroristas, pois em 1920 eles já eram atacados e sofriam percas muito grandes. Em um dia normal no simbolo capitalista de Wall Street uma bomba explodiu. Um homem passou com uma carroça e ao parar o seu veiculo em frente de um prédio oficial descarregou uma carga que momentos depois causou uma forte explosão. 30 pessoas foram mortas e 300 ficaram feridas. Infelizmente o culpado nunca foi encontrado, quando ainda nem se pensava em usar a palavra terrorismo.

3-) Bombardeio do Metrô de Londres


Em 2005 três homens bomba se infiltraram no Metrô de Londres e se explodiram chocando o mundo. No mesmo dia, momentos depois, houve uma outra explosão, desta vez em um ônibus de dois andares. Depois de investigações, o crime foi anunciado como obra da Al Qaeda, apesar da policia britânica dizer que o crime pode ter sido realizado por terroristas ingleses. Por fim, 52 pessoas morreram no ataque, e mais de 700 ficaram feridas.

4-) Bombardeio na estação de Bolonha


A Itália também já foi vitima de um ataque terrorista em 1980. Era um dia de férias e a estação de trem estava cheia de turistas viajando pela cidade. Foi quando uma bomba de 23 kg foi acionada causando uma forte explosão na estação, que destruiu a ala oeste do edifício, danificou um trem, destruiu 30 metros da plataforma de embarque e fez cair o estacionamento de Táxis da estação. O ataque foi feito por jovens da extrema direita do país, que deixaram 85 pessoas mortas e 200 ficaram feridas.

5-) Atentado a Paris


A França sofreu também com ataques terroristas, que deixaram para a população uma forte insegurança. O ataque foi feito pelo Estado Islâmico, que organizou uma sequência de ataques, explodindo bombas em locais onde haviam uma grande concentração de pessoas. Bares, restaurantes e uma casa de show foram alvos, além do estádio Stade de France, deixando 129 mortos pelo país.

GRANDE MOMENTOS #1 - Romario 2X0 Uruguai

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Maracanã lotado, e o Brasil precisando da vitória para se classificar para a Copa do Mundo. Ninguém imaginava que um dia o Brasil viveria tal sufoco. A torcida reclamou durante toda competição, pois faltava garra, faltava classe, faltava talento, faltava o goleador. Faltava Romario.

- Chama o Romário Parreira. Para de ser teimoso.

- Poxa Zagallo, cade o baixinho?

Era o que a torcida brasileira gritava e pedia a cada empate ou derrota. E até mesmo nas derrotas mais magras. Depois de tanto pedir a torcida foi ouvida. Perreira convocou Romario. O baixinho chegou ao Rio de Janeiro como herói. A torcida o via como o salvador da pátria. E o que Romario disse diante disso?

- O jogo contra o Uruguai vai ser uma guerra. Vim para ganhar. Vou classificar o Brasil para a Copa do Mundo.

E assim voltamos ao presente. Maracanã lotado e o Brasil precisando vencer para se classificar para a Copa do Mundo de 1994. O jogo se inicia e o Brasil aperta em todo tempo. Na primeira chance de Romario, ele acerta o Travessão. O Uruguai pouco bate, e então o Brasil aperta, afoga, pressiona. Mas o gol não sai. Bebeto tenta e o goleiro pega. Jorginho chuta e o goleiro defende. Romario é bem marcado. É pressionado. Romario tabela e chuta para o gol. Mas o goleiro defende. Fim do primeiro tempo.


No intervalo os jogadores conversam, buscam arrumar uma brecha para fazer o gol. Uns reclamam do goleiro, outros reclamam do gramado, e outros ficam calados. Entre outros esta ali Romario. O baixinho vai para o canto do vestiário e resolve ligar para um amigo. O nome dele é Edmundo.

- E ai peixe. Você tava vendo o jogo? A bola não entra. - dizia Romario

- Calma Baixo. A bola vai entrar. Calma que daqui a pouco a bola entra. - disse Edmundo, que estava no Maracanã torcendo muito pelo amigo e pela seleção.

O jogo é reiniciado, e a pressão brasileira recomeça. Romario tenta mais uma e o goleiro espalma seu chute forte. Em outro lance Bebeto cruza alto. Alto para o baixinho? Não importa. É gol do Brasil. É gol de Romario. Chega goleiro! A noite é do baixinho. A torcida suspira, agradece por Romario. Mas ainda tinha mais, logo em seguida Romario recebe um lançamento longo e engana o goleiro. O dribla e chuta para o gol. Mais um gol do Brasil. Não era possível que o povo estivesse errado. Eles pediram Romario, e o baixinho não decepcionou. Brasil 2 a 0 no Uruguai. Romario faz a noite de domingo de 93 ser inesquecível. Nós estamos na Copa do Mundo.

Histórias de amor - Uma troca de Emails

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Leonardo tinha conhecido Gisele fazia alguns anos. A principio ele não se apaixonou, pois estava mais preocupado em agradar Jessica. Ele tentou dar presentes, tentou puxar conversa e arrancar sorrisos da Jessica, mas em nenhum momento conseguiu resultados. Os amigos apoiavam, mas sabiam que seria difícil. O tempo passou e Jessica começou a namorar um outro cara, um músico famoso da cidade. Apesar da tristeza e da expectativa frustrada, Leonardo seguiu em frente com a vida, tentou gostar de alguém mas não achou ninguém interessante. Recebeu cantadas de algumas mulheres, mas não achou que valia a pena. A vida seguiu e de repente percebeu uma proximidade maior com Gisele.


Aos poucos, conversas sobre coisas comuns, resolveram trocar emails, já que cada um deles conseguia usar no trabalho. De repente o amor bateu, de forma simples e suave os dois começaram a gostar de conversar. Sentiam a falta o dia em que não chegava nenhuma mensagem, dormiam querendo que o dia amanhecesse para poderem conversar durante todo dia. Sim, desta maneira o dia passava rápido, nem percebiam o relógio andar, e em alguns dias queriam que o tempo parasse para ficarem a conversar por um bom tempo. 

De conversas on line começaram passar para o mundo real, com conversas pessoais, com momentos divertidos, com risadas espontâneas. Leonardo ajudou Gisele a superar seus conflitos e medos, suas decepções do passado e o seu medo daquilo que era novo. Leonardo não resistiu, em um dia disse que estava apaixonado, e ela correspondeu positivamente. Coração dispara, o corpo fica gelado e bate aquele frio na barriga. É o amor surgindo, é o desejo de estar perto acontecendo. Assim de forma inesperada, através de trocas de emails o amor surgiu e ficou. E dizem que até hoje o amor bate, e até hoje eles olham com carinho as teclas do computador e a imagem do monitor, pois foi ali que tudo começou.

10 melhores filmes que já assisti

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Fazer listas é um negócio difícil, pois acabamos deixando sempre alguma coisa para trás e entrando em discussões com pessoas que não concordam com ela. Mas teimoso como sou, e amante de listas, resolvi criar uma dos 10 melhores filmes que já assisti. Até o momento já assisti mais de 750 filmes, então acho que já da para criar uma lista assim. Bem, os filmes não estão na ordem de preferência. Serve como dicas de filmes para você assistir. Bora la:

1-) Matrix 


Este filme revolucionou o mundo do cinema, com novas técnicas de filmagens, fomos imergidos em um mundo cheio de mistério, filosofia e discussões a cerca da vida e do ambiente em que vivemos. Keanu Reeves alcançou o estrelato com um visual cyberpunk e cenas de luta de arrepiar. Vale a pena acompanhar Neo acordando e saindo da Matrix para lutar contra os agentes que buscam eliminar os seres humanos no planeta original. Bagunçou tudo? Pois é, isso é Matrix.

2-) Conta comigo


Não existe um filme que retrate melhor a amizade do que este filme. Em conta comigo vemos quatro amigos em busca de ver pela primeira vez o corpo de um homem morto. O destino final pouco importa, pois o melhor é a jornada que eles vivem, os diálogos, as crises que eles compartilham, assim como os seus medos. Em uma época onde não existia internet, sobrava mesmo obter amigos de verdade, e é disso que o filme fala: amizade.

3-) Anjos da vida


Gosto de filmes que trazem um bom roteiro e uma mensagem para a vida, e isso são duas coisas que este filme possui. Anjos da vida nos mostra uma equipe de resgates do mar, e então vemos um mentor ensinando um soberbo aluno a se tornar um ótimo profissional. O filme nos passa lições de liderança, de humildade e de comportamento humano, alem de passarmos a entender melhor o trabalho dessa equipe de valentes.

4-) 500 dias com ela


Alguns não gostam de filmes de romance, por acharem sempre a mesma coisa, sempre a mesma história e sempre o mesmo final. Mas acontece que neste filme as coisas acontecem de forma diferente. Aqui vemos um relacionamento que não deu certo, assim vemos a história de um relacionamento que durou 500 dias. Vale a pena ver, a maioria das pessoas se identifica com o filme e com a história.

5-) Na natureza selvagem


Filmes de viagens são sempre um convite para o autoconhecimento e um desafio para se aventurar. Neste filme vemos um jovem que abre mão da vida padrão, do seu dinheiro e estudos para viajar pelos EUA, até chegar no seu destino final; Alasca. Durante sua jornada ele marca diversas pessoas e ajuda muitos a se encontrarem. É um filme bonito e emocionante, com uma trilha sonora toda composta por Eddie Vedder.

6-) Sing Street


Um filme bastante atual, que consegue fazer uma ótima conexão entre música e cinema. A história mostra um jovem que acaba se apaixonando por uma garota, e então para conquistá-la decide montar uma banda de rock para impressioná-la. Durante o filme passamos por vários estilos musicais dentro do Rock, alem do roteiro tratar de conflitos familiares, sonhos, amizade e a busca pelo amor verdadeiro.

7-) Curtindo a vida adoidado



Um clássico dos anos oitenta, onde acompanhamos um dia na vida de Ferris Bueller, que decide matar aula e chamar os seus amigos para curtirem a vida. Assim ele dirige uma Ferrari, vai a um evento esportivo e curte uma piscina ao lado da namorado e seu amigo. O filme nos fala sobre curtir o momento, aproveitar cada segunda da vida e ainda critica o estilo das escolas americanas.

8-) Em ritmo de fuga


O filme mais bem montado que já vi, realizando conexões perfeitas entre a musica do filme e os movimentos dos personagens. A história mostra o jovem Baby sendo obrigado a trabalhar como piloto de fuga para bandidos. Com cenas de ação muito boas e uma excelente trilha sonora, este filme se torna um marco para a sua geração.

9-) Click


Adam Sandler é acostumado a fazer filmes de comédia, mas aqui ele consegue tocar as nossas almas, com um filme que passeia entre a comédia e o drama, colocando a ordem das coisas de maneira correta. Vemos que seu personagem pode controlar toda a sua vida com um controle remoto, mas destas forma acaba por perder os melhores momentos da sua vida.

10-) Batman cavaleiro das trevas


Não poderia falta um filme de super heróis nesta lista, e se é para falar de um filme deste gênero, vamos falar do melhor deles, o segundo filme da franquia dirigida por Nolan. Temos aqui um Batman mais realista, enfrentando as loucuras do Coringa, em uma atuação impecável de Heath Ledger. As cenas de lutas estão ótimas, os diálogos estão bem encaixados, fazendo deste o melhor filme do Batman.

Retratos e lembranças

domingo, 13 de agosto de 2017

A vida é engraçada, e em certos momentos da vida percebemos que já vivemos muita coisa, sejam elas boas ou ruins. E nada melhor do que um álbum de fotos para nos trazer a lembrança tantas coisas que já passamos. Olhar álbuns de fotografia é algo mágico, mesmo em um mundo tão moderno como o nosso. Lembro-me que quando era pequeno as visitas iam em casa e depois do almoço a alegria era vermos fotos e assim recordar momentos e reviver alegrias. Tantas festas interessantes, tantas viagens emocionantes, casamentos alegres. É a vida passando em nossa frente através de imagens. Ainda hoje gosto de olhar as fotos e notar aquele sorriso de leve batendo no rosto, que se transforma em uma alegria que passa pela mente e agita todo corpo.


Ver fotografias também é uma maneira de matar a saudade de quem já se foi, de quem deixou a existência para se tornar uma lembrança em nossas vidas. Bate aquele aperto no peito, uma tristeza na alma, mas não a ponto de virar agonia, mas de resgatar lembranças boas e um suspiro de saudade. Quem inventou a fotografia merece um prêmio, se é que já não ganhou. Fotos são presentes, são momentos congelados para sempre. Convido você a visitar a sua história, a entrar no tempo e assim resgatar os momentos do passado. Eu sou daqueles que gostam de bater fotos em todos os momentos, pois eu gosto de eternizar momentos, fazer deles uma bela catedral, um lindo quadro para ser visto em momentos difíceis. As vezes olhar álbuns de fotografias nos trazem uma certa esperança, nos lembrando que bons momentos existem sim, eles virão, cedo ou tarde, eles irão acontecer novamente.

Enquanto você lê esse texto, eu lhe convido a relembrar os bons momentos, lhe convido a visitar o seu passado com alegria, com nostalgia, mas sem melancolia ou arrependimentos.Também desafio você a viver novos momentos, a viver coisas novas e registrar tudo. Registre os jantares com amigos, registre os momentos com quem você ama. Ah, coisa boa é viver, e coisa boa é também registrar e relembrar depois. A vida se vive agora, mas também permite um espaço para boas lembranças do passado também.

Neymar, futebol e milhões

terça-feira, 8 de agosto de 2017

O mundo do futebol foi elevado para outro patamar com a transferência de Neymar do Barcelona para o PSG. O dinheiro envolvido foi multo alto, levando o jogador brasileiro a ser o jogador de futebol mais caro da história, pois o PSG pagou 222 milhões de Euros de multa, levantando muitas discussões sobre valores de jogadores de futebol. Será que eles merecem ganhar tanto? E tantos funcionários que não ganham isso tudo? Absurdo é a frase de muitos. Mas pense bem, se clubes possuem tal disposição de pagar valores astronômicos em um atleta, pode ter certeza que o retorno financeiro é muito maior. A outra pergunta que fica é: porque jogadores de futebol ganham tanto dinheiro? Eles trabalham o suficiente para ganharem tanta grana assim?


Pois é, Neymar é o assunto da semana, é o assunto entre os amantes do futebol. Mas não fique com pena do PSG, pois eles possuem muito dinheiro, muito mesmo. O interessante é que o clube francês já começa a obter lucros com as camisas vendidas logo nas primeiras horas de venda. Saiba também que o campeonato francês não será mais o mesmo, o patamar do campeonato será aumentado, saíra de quinto mais assistido para provavelmente o terceiro ou segundo mais visto do mundo. Então, o PSG vai ganhar dinheiro com aumento de cotas televisivas e de patrocínios. Você acha que Neymar foi caro? Concordo, mas o retorno financeiro que ele irá proporcionar para o clube será muito maior e por muitos anos. Neymar também ira atrair outros jogadores famosos para o campeonato francês. A França recebe Neymar como rei e ele possui tudo para dominar o campeonato e também se tornar o melhor do mundo, sendo protagonista do time. Com a Copa do mundo no próximo ano, o brasileiro possui todas as chances de se tornar o melhor jogador do mundo, acabando com a hegemonia de Messi e Cristiano Ronaldo. Por isso a mudança de time não foi ruim para nenhum dos envolvidos.

Então você pensa, e os jogadores antigos que pouco lucraram com o futebol? Quando foi que um jogador passou a se tornar tão caro? Bem, infelizmente os tempos mudaram, o marketing esportivo entrou em cena e marcas notaram que o futebol é uma mina de dinheiro. Apesar de parecer injusto, se uma pessoa consegue trazer um retorno financeiro alto para uma entidade, nada mais justo que ele receba um valor alto também. Quanto vale o trabalho de uma pessoa? Vale o tamanho do valor de retorno que ela proporciona para a empresa. É o mundo capitalista meu amigo. Mesmo sendo o melhor jogador da história, Pelé nunca ganhou tanto como jogador, e talvez um jogador mediano hoje em dia ganhe muito mais que ele ganhou como atleta. Pois é, os valores aumentam a cada ano e não sabemos onde vai parar. Mas lembre-se, o clubes e patrocinadores ganham um valor muito alto nas negociações, transformando assim o mundo do futebol em um mundo de negócios.

O dia em que o pobre ficou rico

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Lia era uma mulher muito atarefada, corria o tempo todo, sempre estava ocupada, não tendo muitas vezes tempo nem para respirar. Já fazia alguns anos que ela estava morando na Austrália e aqui as pessoas não olhavam muito umas para outras, mas ela era brasileira, tinha que mostrar que possuía um pouco de compaixão e calor humano. Lia não entendia o porque de tanta indiferença na vida das pessoas, o porque que ninguém ajudava ninguém.

Todos os dias ao acordar ela encontrava um cara na rua que vivia pedindo dinheiro, e isso era todo dia. O pessoal da rua chamava ele de Paul. Apesar das pessoas conhecerem o nome dele, ninguém o ajudava, poucos olhavam para ele e com muita raridade ele recebia alguma moeda. Mas o que mais surpreendia Lia, era o fato de Paul não desistir, pois todos os dias ele se achava no mesmo local, pedindo dinheiro. Chegou um dia em que Lia resolveu ajudá-lo, pois o que ele pedia era absurdo e ao mesmo tempo engraçado.

-Moça, eu estava querendo comprar um bilhete da loteria, será que você poderia me dar o dinheiro para comprar?

- Sério? Ah, bem, tudo bem, eu lhe dou o dinheiro - Lia não estava acreditando no pedido, achou engraçado e se sentiu no Brasil.


E a semana passou novamente com toda aquela velocidade que só as cidades grandes conseguem proporcionar. Lia seguiu o trabalho e toda vez ao acordar ela ainda via Paul pedindo esmola para as pessoas na rua. Assim foi por três dias seguidos, mas no quarto dia Lia não viu Paul na rua. Será que tinha acontecido alguma coisa? Será que ele tinha sido atropelado ou morto? Foi então que andando pela rua viu Paul de longe. Ele vinha correndo com um largo sorriso no rosto.

- Oi moça, eu te encontrei, que bom. Achei que não encontraria a senhora - dizia Paul todo animado.

- O que houve Paul? Esta tudo bem?

- Sim, sim. É que na verdade eu precisava pagar o que estava devendo para a senhora. Eu acabei ganhando na loteria e estou devolvendo o dinheiro que a senhora me deu.

- Nossa, que legal cara- a euforia tomou conta de Lia, ela não acreditava no que estava ouvindo - que bom, e agora o que você vai fazer?

- Bem, agora que estou rico- Paul seguia rindo - vou voltar para a minha cidade, ajudar a minha mãe, refazer a minha vida.

-Bom, até mais então. Boa sorte.

E assim Paul seguiu em frente, buscando uma nova vida. Lia ficou ali e depois sentou no banco em que Paul ficou por tanto tempo pedindo dinheiro. Lia esta muito feliz, pois a sua pequena ajuda foi capaz de ajudar uma pessoa a mudar de vida, e isso ela nunca esqueceria. Bem, e nem ele!

 

POPULARES DA SEMANA