Seguidores

Tecnologia do Blogger.

Visitantes

Diários roubados - Diário de um Palmeirense

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Aeeee Diário, cheguei aqui na área e é uma grande honra para você ter um palmeirense como eu escrevendo em você hoje. Por que? Ué, eu sou o campeão brasileiro de 2016. E olha, vou te falar, em alguns momentos eu até pensei que esse titulo seria mais disputado, mas na verdade nem foi tudo isso. Falaram de um tal de cheirinho, mas só se for cheiro de pizza, que alias como um bom palmeirense com raízes italianas eu gosto muito. E depois teve o time do Santos que tentou uma reação no fim do campeonato, mas na boa, não ia dar para eles. Perder o titulo para o Santos? Ah não, você ta de brincadeira né Diário, nem pensar! O timinho da marginal e os Bambis até tentaram nos secar, mas desculpa galera, não rolou, tenta no próximo ano. E olha que ano que vem temos tudo para vencer a Libertadores e ser Bi do Brasileirão.


E ainda tem um pessoal querendo desvalorizar o nosso time. Ficam falando que não temos Mundial, ficam falando que não somos campeão brasileiro por nove vezes. Ah Diário, que culpa nós temos que essa galera não respeita as organizações do nosso futebol. Se a CBF disse que somos nove vezes campeão, então nós somos caramba! Já não tinha Brasil nos anos 60? Não tinha futebol? Não tinha times? Pois é, tinha tudo isso, que culpa nós palmeirenses temos que nosso time era bom e pronto. Ganhamos tudo aquela época, fazer o que? Segue a gente e tenta buscar ué. E sobre o Mundial? Aquele de 2000 jogado no Rio de janeiro, o titulo de verão sabe? Falaram que é Mundial, mas sem Libertadores? Pode isso Arnaldo? Então o nosso também vale, até a FIFA já disse que vale, então chora invejosos, somos campeões mundiais sim. Ah não aceita, então espera, porque ano que vem vamos ganhar mais um e calar a boca de vocês! Tchau Diário, ano que vem eu volto para contar mais sobre as nossas conquistas.

Histórias do Metrô - O Poeta

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Ele não queria dinheiro, ele não queria aplausos, ele não queria perturbar ninguém, ele só queria poder fazer a diferença na vida das pessoas que estariam dentro daquele vagão de Metrô!

Do outro lado vinha um grupo de três amigos, cansados após um dia longo de trabalho, buscando descansar e quem sabe poder curtir a viagem de volta para a casa sentado. é, não deu! Mais uma vez o Metrô estava lotado e tiveram que ir em pé mesmo. Pelo menos poderiam ir conversando sobre as trivialidades da vida durante o caminho!

Ele se preparou para entrar, viu que o Metrô estava se aproximando, respirou fundo, estava pronto para mais uma vez tentar tocar corações. As vezes se preocupava com aquilo que as pessoas iriam pensar, mas fazer o que? Sentia que era necessário fazer algo diferente.

A segunda estação chegou, mais pessoas entraram, mais pessoas que vinham também de suas jornadas de trabalho, com o mesmo pensamento de descanso. Dava para olhar o cansaço em cada rosto ali, em cada pessoa que entrava. Os amigos observaram que também entrou um homem diferente, barbudo, ainda que jovem. Além disso tinha roupas do estilo Hippie, Iria vender miçangas? Iria pedir dinheiro? Iria distribuir papéis de paz e amor? O que veio surpreendeu a todos.

Ele entrou e olhou para o público que ali estava presente, então viu que aquela era a hora, tinha pessoas suficientes para ouvi-lo. Ainda que as câmeras pudessem filmá-lo, não importava, ele iria mostrar a sua arte, e então soltou a voz e começou a tentar fazer a diferença:


Você veio cansado, eu sei, você veio buscando paz e descanso
Você queria encontrar o melhor para si e para os seus
Você queria estar melhor do que hoje e sofre por isso
Mas eu quero dizer que você precisa viver o hoje
Você precisa viver o agora, precisa de mais amor
Eu estou aqui hoje para lhe dar um recado

Se preocupe mais com o momento presente
Com as pessoas que estão ao seu redor
Com os encantos da vida
Eu lhe ofereço hoje um abraço, eu lhe ofereço um abraço
Alguém? Alguém quer um abraço?

Vergonha em todo o vagão, alguns nervosos do dia de trabalho acalmaram-se, alguns que estavam tristes esboçaram um sorriso. Quem era ele? Por que fazer aquilo? Os amigos se constrangeram, pararam de conversar e ouviram o poeta falar. A próxima estação chegou, o poeta estava saindo sem abraçar ninguém, mas uma mulher pediu-lhe um abraço. Ele a abraçou e foi nítido que ela ficou melhor, levantou até os ombros depois disso. Ele se foi, partiu para um próximo vagão, para buscar fazer a diferença na vida de outras pessoas. Vergonha? Ele não tinha, ele tinha era alegria de tentar mudar o mundo com palavras e poemas. 

E você? Quer um abraço?



Eduardo e Mônica

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Os dois eram muito diferentes, enquanto Eduardo era um jovem que acordava com muito sono a cada dia, a bela Mônica estava no bar com seus amigos bebendo e jogando conversa fora, até porque a idade dos dois era diferente, a realidade de vida de cada um era diferente, ninguém jamais iria dizer que um dia esses dois ficariam juntos, mas como já dizia o poeta, existe razão para as coisas do coração? Pois é, um dia Eduardo acabou sendo convidado por um amigo para ir em uma festa, só que chegando la Eduardo achou tudo muito estranho, muita gente esquisita, mas ele olhou para Mônica e logo teve sua atenção para ela. Mônica que não era boba percebeu e dava risadas ao ver que Eduardo tentava impressionar ela. Enquanto isso Eduardo pensava que o tempo estava passando e estava ficando tarde, com certeza ele iria se dar mal no dia seguinte.

Mas por incrível que pareça, os dois trocaram telefones e marcaram de se encontrar para se conhecer melhor. O mais incrível é que cada um deles chegou com seu veiculo de uso diário: ela foi de Moto, enquanto ele chegou de Bicicleta, mas tudo bem, iriam sair, mas cada um tinha uma ideia diferente:

-Vamos para a lanchonete Mônica?

-Ah não, prefiro ver o filme do Godard.

Godard? Pensou Eduardo. Quem é esse cara? E que estranho, parece que essa menina tem tinta no cabelo.


Eles não tinham nada a ver um com o outro, ele tinha apenas 16 anos, ela já estava fazendo faculdade de Medicina e também falava Alemão. O Eduardo estava fazendo curso de inglês, bem básico, mas necessário para os jovens daquela época. A Mônica tinha altos papos cabeça, falava de diversos assuntos intelectuais que deixavam Eduardo de boca aberta, pois o esquema dele ainda era ir para o Clube se divertir com os amigos e assistir novelas com o avô dele. Claro que ele também não deixou de jogar futebol de botão com o avô dele, onde cada partida era algo emocionante.

Mas Eduardo percebia que precisava crescer, então da sua maneira começou a tentar mudar, deixando o seu cabelo crescer, aprendeu a sair com os amigos dela, a beber sem passar mal. O amor entre os dois ia crescendo, a cada dia os dois queriam se encontrar, então começaram a viajar juntos, conversar sobre coisas da atualidade e da vida, onde Mônica ajudava Eduardo a entender melhor as coisas que aconteciam ao redor do planeta. Eduardo também começou a trabalhar, e quando ele passou no vestibular a Mônica se formou na faculdade.

A vida entre os dois seguia em frente, e como de todo o casal, tiveram momentos de alegria e também momentos ruins, de brigas e desentendimento. Juntos começaram a batalhar por uma vida melhor, e chegou o tempo onde construíram a casa deles e também receberam a noticia de que iriam ter filhos, e seriam gêmeos para a surpresa de todos. Quem olhava de longe sabia que eles tinham sido feito um para o outro, mesmo com a diferença de idade e de ideias. Pois é, eles se fortaleceram e sempre estavam passeando e viajando junto com os filhos. O tempo passou, e nesse novo ano as coisas pareciam se repetir com uma nova viagem em família, mas tudo foi por água baixo, pois um dos filhos acabou ficando de recuperação na escola. É assim é a vida, e já dizia o poeta, quem um dia ira dizer que existe razão para as coisas feitas pelo coração, e quem ira dizer que existe razão.

É só mais um dia de trabalho

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Mais um dia de trabalho para Rogério, e la ia ele não tão empolgado assim, mas sabia que igual ele havia varias pessoas que também estavam na luta. Lembrou-se de Natália que aguentava o Trem e Metro lotado logo cedo. Se lembrou também de Cléber que tinha que aguentar aquele chefe chato, e também de Lucas que era zuado diariamente pelos colegas de trabalho e ainda assim continua firme trabalhando. Rogério pensando assim via que não tinha desculpas para ficar em casa, tinha que ir sim trabalhar.

Ao se sentar no seu escritório ele estava feliz por pelo menos já ter vencido o primeiro desafio do dia, venceu a preguiça e a falta de vontade de trabalhar, só que ele sabia que muitas lutas ainda viriam de vir pelo dia. Ao olhar para o computador viu que tinha muito trabalho para realizar, então começou a bater aquele estresse do dia. Ficava bravo porque ainda era segunda feira e já estava cansado, mesmo assim bora para a luta. Rogério seguiu trabalhando e trabalhando, pois precisava do dinheiro no fim do mês. Continuava a se lembrar dos amigos para poder se motivar e seguir trabalhando.


Rogério tentava se concentrar quando de repente chegou a sua mente aquelas perguntas: "por que você esta trabalhando aqui?", "podia arrumar algo melhor". Mas ele conhecia a sua mente e sabia que a maioria desses pensamentos eram apenas várias daquelas mentiras que a mente prega, então seguiu trabalhando, pois tinha prazos a cumprir. Depois dos pensamentos negativos em relação ao trabalho começaram a vir pensamentos sobre diversos outros assuntos. Precisava de um psicologo, pensava ele. Mas esse também era só mais um pensamento, e aos poucos ele foi vendo que a maioria dos pensamentos eram para impossibilitá-lo de avançar e crescer. Sendo assim ele conseguiu se estabilizar e seguir o seu trabalho.

Mas o dia no trabalho não é apenas sobre lutas internas, pois ainda possuem as lutas externas, como o chefe cobrando prazos, os colegas de trabalho querendo falar de coisas que não interessam no momento, e isso atrapalha muito. Mas no dia de trabalho ainda existem as coisas boas, como a hora do café da tarde, um momento de descontração e de se alimentar, o que é sempre muito bom. Pena que esse momento dura pouco, pois o prazo estava chamando de novo, o trabalho clamava pela presença dele novamente.

Fim de expediente, hora de descansar não é mesmo? Bom, para alguns sim, mas para outros ainda não. Olhando para os mais jovens Rogério via vários deles indo para a faculdade, outros para a casa da namorada e tinha até mesmo aqueles que iam para um outro emprego, para ganharem um dinheiro extra. Rogério ia para a casa, mesmo cansado e em alguns dias com dor de cabeça, mas mesmo assim ia direto para a casa, como o sentimento de dever cumprido. 

O dia em que descobri que tinha super poderes

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Cresci assistindo desenhos japoneses onde existiam ali personagens cheios de poderes e energia, onde se falavam de Ki, de Cosmo e mais um monte de outras fontes de energia. A minha reação? Poxa eu queria ter também aqueles poderes, disparar golpes energéticos, vencer os inimigos da escola e ser reconhecido como alguém poderoso. Lia também histórias em quadrinhos onde Homem Aranha e Batman eram meus favoritos. Poxa, quem não queria ser um vigilante combatendo o crime na cidade? Ser um grande herói na cidade, fazer a diferença era um sonho. Eu não sei você, mas eu estava querendo isso para mim, não ser só mais uma pessoa na vida, que nasceu, viveu e morreu como um cara legal. Sério que a vida é só isso? E fazer a diferença? E deixar a minha marca na história?

Se olharmos na nossa sociedade existem pessoas que estão sobrevivendo, lutando dia após dia em suas dificuldades. Outros estão somente existindo sem fazer nada, enquanto outros estão vivendo, estão fazendo a diferença. É isso que eu quero, viver e fazer a diferença. Mas sem super poderes? Da certo? Tem como? Sim, eu lhe digo que tem. Alguns músicos fazem diferença com suas musicas, outros fazem a diferença com suas palestras, outros em sua profissão escolhida. Sim, é possível fazer a diferença a onde você esta, para as pessoas que estão ao seu redor. Todos podem mudar o mundo, basta mudar exatamente o seu próprio mundo. Mas como? Vou lhe contar então como descobri que tinha poderes para transformar o meu ambiente.


Certa vez veio uma pessoa muito triste falar comigo, estava com dificuldades, não encontrava uma saída, então eu comecei a mostrar para ela que o caso tinha sim solução, e depois de algum tempo conversando a pessoa saiu de perto de mim respirando mais leve, com um sorriso no rosto. Uau!!! Ela mudou o posicionamento depois de uma conversa simples. Pois é, era o que ela precisava para vencer a sua luta. Passei a observar que as pessoas precisam de outras pessoas, ninguém consegue crescer sozinho, ninguém consegue chegar ao topo sem a ajuda de outros. Você pode ajudar pessoas a vencerem as suas tempestades, trazer sol para a chuva das pessoas, trazer luz para a escuridão das pessoas. O problema é que muitas vezes preferimos ser os coitadinhos da historia, esperando alguém vir nos procurar e fazer carinho na nossa dor. Mas a melhor forma de ser curado, é ajudado outros a se curar de suas feridas causadas pelas circunstâncias da vida.

Quero hoje lhe incentivar a ser um incendiário, um incentivador, um motivador de pessoas. Procure levar pessoas a voarem mais alto, a buscarem seus sonhos. A vida é boa e cheia de possibilidades, que sejamos aqueles que fazem a diferença, através de palavras encorajadoras. Tudo é possível se você acreditar, sendo assim não é necessário que você saiba voar ou disparar poderes pelas mãos para ser alguém relevante na historia. Basta ser alguém disposto a ajudar pessoas a evoluírem. Bora fazer a diferença?

P.A Entrevista #17 - Luciano Pires

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Hoje vamos falar com Luciano Pires, um cara que tem buscado revolucionar a nossa sociedade, colocar as pessoas para acreditar que é possível conquistar, empreender e liderar. Luciano é palestrante, escritor e cartunista. Além disso ele é responsável pelo Portal Café Brasil, onde ele escreve textos e apresenta dois Podcast fantásticos: O Café Brasil, onde ele traz ótimas reflexões e o Líder Cast, com entrevistas com pessoas que tem feito acontecer.


1-) Como surge o Luciano que conhecemos através do Portal Café Brasil?
Surge a partir de 2002, quando retornei de minha viagem ao Everest e decidi que ia voltar as minhas raízes e investir na carreira de gerador de conteúdo, aumentando o alcance dos meus textos através da internet e das palestras. Em 2005 nasceu o programa Café Brasil na Rádio Mundial, depois o Podcast. Em 2008 deixei a empresa onde era diretor de comunicação para me dedicar de corpo e alma ao Café Brasil editorial. Em 2015, gerado no seio do Podcast Café Brasil, nasceu o Podcast Líder cast.

2-) Qual a sua intenção com o Café Brasil e o Líder Cast?
Dar as pessoas um guia para reflexões sobre temas importantes que deixamos de lado no nosso dia a dia. Quero provocá-los para que pensem, questionem, conversem, reflitam. É a reflexão aplicada á informação que cria o conhecimento. Quero ser um agente para isso. Dai meu trabalho de "Fitness intelectual" para deixar as pessoas com o cérebro tanquinho.

3-) Na sua visão, como uma pessoa pode conseguir chegar ao máximo do seu potencial?
Com uma somatória composta de curiosidade + esforço + tempo. Com a percepção de que é preciso escolher conteúdo revelante, mas que também exija esforço intelectual, para que cresçamos a ponto de compreender a nós mesmos e explorar as oportunidades que surgem em cada contexto.

4-) Quais conselhos você daria para o Luciano de 30 anos de idade?
Aprenda a trabalhar o dinheiro que você esta ganhando

5-) O Brasil tem jeito? Qual é o caminho?
Tem jeito sim, e o único caminho é os brasileiros compreenderem que o Brasil, sendo de todos, é de cada um. Todos entendendo a sua responsabilidade para que este país dê certo, parando de transferir as responsabilidades para os políticos, parando de jogar a culpa em santos e deuses, praticando a disciplina e a cidadania. Não existe outra forma.

Diários roubados - Diário de um Cinéfilo

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Diário você não vai acreditar naquilo que eu acabei de ler, vai estrear um filme novo no cinema. Mas péra ai, deixa eu te explicar, não é qualquer filme não, mas o filme novo daquela franquia super importante. Eu estava esperando faz anos para essa série de filmes voltar, vai ser muito bom. O ator principal esta de volta, o diretor esta afinado com todo o elenco, o roteirista disse que foi a melhor coisa que ele já escreveu em séculos. Enfim, não tenho dúvidas que vai ser o melhor filme da história. Meus amigos falaram que querem assistir junto comigo, mas sabe como é né. Ele enrolam demais, ficam sempre falando que vamos marcar,vamos marcar e ai acabam por não marcarem nada e eu perco o filme. Mas desta vez não, eu vou assistir sozinho mesmo, e não estou nem ai.


Aliás enquanto eu espero pelo filme eu já vou escrever aqui no meu computador a critica do último filme que assisti ontem. Você sabe que eu sou meio viciado nesse negócio de filmes né Diário? Pois é, gosto de observar todo o filme, ele por completo. As pessoas não entendem que um filme não é composto apenas por imagem e cores, não, tem muito mais envolvido. Diário as pessoas simplesmente não entendem que existe um roteiro todo bem escrito para ser vivido, pois toda história é feita de roteiro, e que eles possam ser bons para termos boas histórias. E o que falar da direção? Poxa, o diretor é algo importante de mais, com todas as suas técnicas e variações. As pessoas falam que sou chato por observar tudo isso, mas isso que é cinema, isso que é experimentar ao máximo toda história. Cinema é conhecer a história, é analisar os efeitos visuais, os efeitos sonoros, as atuações de cada ator. Pois é Diário, cinema é algo mágico e profundo, por isso agora vou assistir mais um filme da Netflix, depois te conto a minha analise do filme.

Chapecoense e seus sonhos

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Sonhar é um direito dos seres humanos, e vou além, sonhar é para aqueles que não se contentam com os resultados atuais. Sonhar é motivador, é acreditar que é possível viver em um nível maior. Infelizmente nessa última semana perdemos sonhadores em um trágico acidente de avião. O avião que levava o time da Chapecoense e vários jornalistas acabou caindo vitimando muitas pessoas, muitos sonhos e muitos projetos. é triste pensar que em um instante sonhos morreram, sem ao menos cada vida poder tentar faze-los se tornarem realidade. Naquele avião havia jogadores que sonhavam com o titulo, o time que sonhava com uma conquista inédita e jornalistas que sonhavam em narrar e contar para todo o público os fatos que envolveriam o grande jogo.


A tragédia envolveu a todos, o mundo chorou a perca como se fosse um drama pessoal de cada um. Ninguém esperava algo tão trágico, todos foram pegos de surpresa, e o futebol mostrou para o mundo que não é apenas um esporte, mas um esporte envolvido com pessoas apaixonadas e sonhadoras. Foi bonito de mais ver cada clube importante como o Barcelona, Real Madri e Chelsea homenageando os heróis de Chapecó. As homenagens não ficaram apenas no mundo do futebol, mas alcançou também a NBA e tantos outros eventos esportivos pelo mundo. O choque foi grande e atingiu a todos, o planeta chorou. E o que falar então da homenagem feita na Colômbia? Os nossos hermanos mostraram muita solidariedade e muito carinho por nós brasileiros. Não precisava de tanto, mas eles mostraram que precisava sim, e queriam fazer mais, tanto que entregaram o titulo tão sonhado para os heróis de Chapecó.

Por que sofremos tanto? Sofremos porque quando morre um ser humano morre um pouquinho de nós junto, porque somos todos iguais, somos todos humanos. Nessa hora se esquece de time, cor, cidade, títulos e apenas vem a nossa memória o fato de que na caminhada da vida somos todos iguais. Por toda semana conhecemos a dor, a tristeza e os sonhos não realizados de cada jogador, conhecemos os alvos de jornalistas, conhecemos os problemas enfrentados durante a viagem. Mas a vida é isso mesmo, uma viagem, e nessa viagem devemos fazer nosso melhor, buscar nossos sonhos e viver do lado de quem a gente ama, intensamente. Chega de brigas a toa, chega de confusões sem motivo, chega de tudo que nos atrapalha. Devemos viver, e viver pra valer. E quando eu me lembrar da Chapecoense eu vou me lembrar de sonhos, eu vou me lembrar da vida! 

Valeu Chapecoense, vocês são heróis!!!

 

Blogger news

Blogroll

Most Reading